Korean Dining Table II

*Parte II da tradução do artigo da Korea Magazine

Sopa é a espinha dorsal da dieta coreana

Isso é exatamente o que eu quero dizer com “o sabor do arroz, acompanhamentos e sopa, tudo misturado dentro da boca.” As pessoas veem a refeição completa apenas quando a mesa está composta de arroz, sopa, acompanhamentos, colher e o jeotgarak 젓가락. Até mesmo depois de encher a barriga até o limite com bulgogi 불고기 (tiras de carne marinada) ou galbi 갈비 (costela), as pessoas terminam a refeição com um pouco de arroz, caldo de pasta de soja ou kimchi, como se fosse uma sobremesa.

17.-Kimchi-Jjigae
Jjigae 찌개

De vez em quando as pessoas optam pelo macarrão gelado com massa de trigo sarraceno no estilo Pyeongyang, após uma refeição com costelas fritas ou churrasco de porco. Nesse caso, o macarrão atua como um substituto do arroz e o caldo do macarrão, como um substituto da sopa, e o kimchi branco 백김치 como acompanhamento. As pessoas geralmente combinam o frango frito com o picles de nabo, popularmente chamado de “nabo de frango”. O picles de nabo refresca o paladar de maneira similar ao kimchi 김치 quando ele é consumido com arroz. Há também pessoas que bebem a salmoura, doce e azeda, do picles porque eles acostumaram a consumir sopa com um alimento sólido.

Ao contrário de outras cozinhas, onde o arroz é consumido como sendo o mais importante, a cozinha coreana tende a ser estruturada para que a refeição sem a sopa seja considerada incompleta. Algumas sopas são normalmente feitas derramando uma grande quantidade de água sobre a carne, peixe ou legumes e, em seguida, temperando-a para ajustar o sabor. Existe uma grande variedade tipos de sopas, incluindo guk 국, tang  탕, jjigae 찌개 e jeongol 전골. Caldos claros possuem um grande volume de ingredientes sólidos são chamados de tang, enquanto que aqueles com uma pouca quantidade de sólidos são chamados de guk 국. Jjigae 찌개 são servidos depois que os ingredientes sólidos foram completamente cozidos dentro de um caldo espesso, enquanto que os jeongol 전골 consiste em um caldo leve e com ingredientes crus que são cozidos no momento que são servidos, na própria mesa das pessoas.

567호-2면-만두전골-3.jpg
Jeongol 전골

Por quase 600 anos, desde a Dinastia Goryeo (918 – 1392) até a Dinastia de Joseon (1392 – 1910), e mais 100 no século 20, as pessoas têm igualado o desempenho dos ritos ancestrais com a sobrevivência da própria família. O arroz e a sopa são as oferendas mais básicas dentro de um rito ancestral. Assim como no enigma da galinha e do ovo, é difícil dizer se a tradição de beber sopa nasceu das regras neoconfucionistas que governaram os ritos ancestrais, ou se a preferência pela sopa na culinária coreana levou ao seu papel vital nos ritos do confucionismo. Apenas uma coisa é certa: a mesa de jantar coreana é incompleta sem uma sopa ou caldo.

Vamos comer juntos um dia desses

Mesas com pratos compartilhados podem ser facilmente vistas, não só por coreanos, mas no Japão, China e no Vietnam também. No entanto, é regra na mesa coreana que apenas o arroz e a sopa sejam servidas individualmente. Todos os acompanhamentos são compartilhados. Todo mundo come de um único pote de caldo, usando as colheres que eles utilizam para comer sem nenhum escrúpulo.

Algumas pessoas do ocidente talvez achem essa forma de comer meio estranha, ou até mesmo anti-higiênica. Porém, é um costume de longa data e extremamente natural para muitas pessoas. A maioria continua dividindo caldos e acompanhamentos na mesma mesa. Na verdade, muitos pensam que essa refeição comunitária gera uma parentesco entre as pessoas. Assim como eles misturam o arroz, acompanhamentos e sopa, tudo junto em suas bocas, eles dividem os acompanhamentos com outras pessoas, dividindo a mesa com eles para aumentar a sensação de proximidade.

As pessoas gostam de dizer “Vamos comer juntos algum dia desses”, na hora de se despedir de um novo conhecido que gostariam de se encontrar novamente. Se você conhecer uma pessoa coreana, e se você quiser uma amizade, por favor, diga para ela “vamos comer juntos qualquer dia”. Essa é a melhor forma de se aproximar de alguém e ao seu patrimônio gastronómico, construindo um parentesco entre as pessoas.

Este artigo foi publicado originalmente no portal issuu.com/kocis9 e pode ser conferido por meio deste link issuu.com.

Foto capa: nongsaro.go.kr

Deixe um comentário