Caquis coreanos

Da madeira de sua árvore, folhas até os frutos imaturos, o caqui possui não só um papel importante nas tradições coreanas, como também no cotidiano alimentar.

A espécie do caqui cultivado na China, é tida como a responsável por ter avançado para outros países do leste asiático. E muito posteriormente, no século 19, introduzida na Califórnia, no sul da Europa e no Brasil.

Na Coreia, um dos registros do cultivo e consumo do fruto, data da Dinastia Goryeo, em 1138. De lá pra cá, não só novas variedades foram desenvolvidas, como uma tradição em torno do caqui se consolidou dos rituais, cotidiano a mesa dos coreanos. Da madeira de sua árvore muitas mobílias são produzidas. Das folhas são feitos os chás; dos frutos imaturos, tinta para tingir roupas; do fruto madurou ou seco, compotas, vinhos, bebidas, wraps e etc.

VARIEDADES DE CAQUI NA COREIA

Variedades de caqui coreano | Imagem: Bburi Kitchen

O frescor e doce sabor são as primeiras sensações que você sentirá ao degustar os caquis coreanos. Tal qualidade é garantida em razão de condições e cuidados específicos que vem sendo mantidos há longo tempo na Coreia. Onde apesar de haver mais de vinte variedades de caqui cultivadas, destacam-se três delas:

DanGam 단감: É o primeiro tipo de caqui a aparecer nos mercados coreanos no ano. Distingue-se pelo seu fundo plano e forma achatada. O tipo DanGam é mais alaranjado. Costuma amadurecer depois de colhido, por isso é comum encontrá-lo ainda duro nas prateleiras e feiras. Em geral é consumido cru, sendo servido descascado e fatiado em saladas. Esse tipo possui um leve sabor de abóbora com um toque de especiarias. É crocante, fresco e menos doce.

Antes de consumi-lo é recomendável deixa-lo por algum tempo imerso em água salgada. Para armazená-lo, basta guarda-lo em um recipiente hermético e conservá-lo na geladeira.

Hongsi 홍시: O Hongsi é um tipo de caqui maduro, de forma ovalmente alongada, que possui uma textura macia, cheia de líquido e com uma polpa doce, suave e sedosa. Sua popularidade é tamanha, que até mesmo um ditado sobre ele foi criado: “Deitado debaixo de uma árvore de caqui, esperando por um hongsi cair em sua boca” (감나무 밑에 누워서 홍시 입 안에 떨어지기를 기다린다), utilizado para se referir a pessoas que esperam doces recompensas sem nenhum esforço ou trabalho.

Essa variedade é comumente usada para fazer purês, além de ser um excelente substitutivo para o melaço ou adoçante em pratos culinários.  Ele pode ser utilizado ainda na feitura do kimchi ou como uma sobremesa congelada.

DaebongGam 대봉감: Ao pé dá letra, pode ser traduzido como grande montanha. É assim chamado, por possuir um pico, que se assemelha as montanhas coreanas. Só recentemente se tornou uma variedade do caqui popularmente consumida. Já que na Dinastia Joseon ele era tido como uma iguaria sazonal servido ao rei, como uma homenagem do povo do sul.

Essa variedade é uma das mais famosas no que se refere a caquis maduros. É doce, fibrosa e por isso mais firme, fazendo com que seja um dos tipos mais utilizados para a feitura do Gotgam 곶감 (caqui seco), uma sobremesa comumente consumida no inverno. Além disso, não possui semente e é facilmente encontrado em Chongdo. Como o Hongsi, ele é recomendado comer quando bem maduro.

Caqui seco e caqui semi-seco | Imagem: The Kraze Magazine

A melhor forma de armazená-lo é em potes de barro ou em caixas de papelão grossas, com a folhagem direcionada para a parte inferior. Recomenda-se ainda, que seja armazenado por camadas, separadas por folhas de jornal ou papelão fino.

TEMPORADA

Os caquis coreanos aparecem no outono (outubro a dezembro). No primeiro mês, os frutos frescos são apreciados, no segundo mês os frutos semi-secos e no último mês, o tão esperado GotGam.

Entre as regiões de destaque de sua produção está Sanju e os condado de Wanju e Cheong.

Sua colheita e armazenamento inspira cuidados. Por possuir troncos e galhos resistentes, ao colhe-lo, é necessário torcer o caule, para que o fruto saia com maior facilidade. Devendo ser armazenado em ambientes com temperatura constante de 15º.

PROPRIEDADES E BENEFÍCIOS

  • O caqui coreano tem baixo teor calórico (44 calorias por 100g) e é tido como uma fruta eficaz para dietas alimentares. Metade do caqui, contém 100g de vitamina C que é ainda mais do que a dose diária recomendada (100mg). Ele possui um alto teor de açúcar e é rico em vitaminas por causa da abundância da luz solar que recebe durante seu crescimento.
  • Existem vários tipos de substanciais funcionais nos caquis. São ricos em betacaroteno, que ajudam a aliviar a fatiga. A pectina contida nos caquis, também melhora a arteriosclerose (doença degenerativa da artéria), absorvendo e eliminando o mau colesterol. Comer caquis também aumenta os antioxidantes no sangue e diminui os danos aos glóbulos brancos, o que é útil para manter uma boa saúde.
  • Caquis são ricos em taninos, que ajudam a aliviar a ressaca. Por isso, no dia seguinte após beber, é recomendável comer caquis, para aliviar a azia e o desconforto intestinal, além de ativar propriedades antioxidantes no corpo.
  • Ajudam a descarregar a cotinina – um produto metabólico da nicotina cancerígena encontrada nos cigarros – para fora do corpo.
  • Ricos em potássio, magnésio, folato, fósforo, vitamina A e C, tiamina (B1) e riboflavina (B2).

O CAQUI COREANO NO MUNDO GLOBAL

Caquis coreanos crescem em áreas com solo fértil e muita luz solar. As tecnologias agrícolas altamente avançadas usadas para cultivá-lo junto as regiões montanhosas, são o que dão a fruta sua doçura e crocância.

Sua popularidade cresce a cada dia não apenas interna como externamente. Com destaque para lugares como Malásia, Cingapura, Hong Kong, Canadá e Dubai. Apesar dos padrões de exportação variarem de país para país para atender a gostos únicos. Sendo avaliados e selecionados de acordo com o teor de açúcar, peso, cor e brilho.

Fontes: Koreana Magazine, AgraFood, Food Storyist e Bburi Kitchen.

Deixe um comentário